Bem lá no fundo do oceano

Segure o fôlego e mergulhe para descobrir o que há no mar profundo!

Peixe translúcido, típico do mar profundo.
Imagem Yoshihiro Fujiwara/JAMSTEC

Um mundo escuro, onde não há como ver paisagens. Os animais que habitam esse lugar usam principalmente o olfato para perceber o que há ao redor.  O brilho que às vezes rompe a escuridão vêm de seres bioluminescentes, aqueles que produzem sua própria luz. Esse ambiente existe mesmo e é imenso! É o maior ecossistema do nosso planeta e se
chama mar profundo. 

Se fosse possível retirar toda a água do oceano, veríamos que o mar profundo é composto por diferentes paisagens, tal como vemos nos continentes. Há montanhas, planícies e grandes abismos, além de seres vivos diferentes de tudo que a gente já viu.

Planícies submarinas

A maior parte do mar profundo é plana e fica há, aproximadamente, 6 mil metros de profundidade. Essas regiões se estendem por milhões de quilômetros quadrados. Porém, nos locais onde ocorrem os encontros das placas tectônicas – isto é, das grandes placas de rocha que se encaixam recobrindo toda a superfície da Terra – são formadas fendas enormes, que podem descer até 11 mil metros de profundidade. 

Paulo Sumida
Instituto Oceanográfico
Universidade de São Paulo


Tássia Biazon
Cátedra Unesco para Sustentabilidade do Oceano
Universidade de São Paulo

Edição Exclusiva para Assinantes

Para acessar, faça login ou assine a Ciência Hoje das Crianças

CONTEÚDO RELACIONADO

Ciência tem cor?

Hora de conhecer cientistas negras e negros que lutaram contra o racismo e mostraram que a ciência precisa ser mais diversa.

Para onde vai, robô?

A matemática também nos ensina a conviver com as incertezas