Marte, aqui vamos nós!

Será que o sonho de habitar o famoso planeta vermelho pode ser realizado?

Ilustração Walter Vasconcelos

Quem nunca ouviu alguma história ou viu algum filme que envolvia uma viagem a Marte ou mesmo a existência de seus supostos habitantes, os marcianos?

Atualmente, até onde sabemos, Marte é habitado apenas por cinco robôs, enviados desde a década de 1970, que não encontraram evidências da existência de vida atual ou passada por lá. Mas isso pode mudar, caso o ser humano realize um sonho antigo: habitar o planeta vermelho! 

Diversas agências espaciais do mundo todo, e até algumas empresas, já miram no nosso planeta vizinho, e diversos equipamentos e técnicas estão sendo desenvolvidos para permitir que algum dia isso se torne realidade. Mas, será mesmo possível estabelecer e manter uma base humana por lá? Podemos pensar juntos.

Marte é também um planeta rochoso e o solo lá, assim como aqui, é rico em ferro. Os últimos resultados das pesquisas mostram que pode ter existido água em estado líquido no passado marciano, o que é essencial para a vida. 

Mas, para a ocupação do planeta, as diferenças são mais importantes do que as semelhanças. A atmosfera marciana é composta basicamente de gás carbônico, quase sem oxigênio. Isso gera outro efeito importante para o ser humano: a pressão atmosférica na superfície do planeta vermelho é muito pequena em comparação com a da Terra, a temperatura média fica em torno de 60 graus negativos (brrrr!) e a dose de radiação (energia que em grande quantidade é nociva à saúde) é 70 vezes maior do que aqui. Tem também a gravidade reduzida, cinco vezes menor do que a da Terra, que causa problemas, por exemplo, para os ossos e o coração do ser humano. 

Por tudo isso, é impossível que o ser humano permaneça na superfície marciana sem trajes especiais e tanques de oxigênio, mesmo que por alguns instantes. Seria necessário criar alojamentos que simulam o ambiente adequado para nossa respiração, como a pressão do ar, acoplar geradores de oxigênio e água, além de recicladores de resíduos. 

E temos outros desafios! Um sinal de comunicação enviado a Marte leva de 5 a 30 minutos para chegar, o que significa que as pessoas precisariam ser muito bem treinadas para lidar com as situações por lá sem depender da comunicação com a Terra. E receber ajuda a qualquer momento não seria possível, uma vez que as condições ideais para se chegar à Marte só ocorrem a cada 26 meses. 

Outra coisa importante seria escolher o tipo de profissionais que seriam enviados ao planeta. As pessoas precisariam ter habilidades em medicina, engenharia, biologia, tecnologia, programação de computadores, e diversas outras. 

Na sua opinião, quais profissionais seriam indispensáveis numa equipe que habitasse Marte? Lembre-se: não podemos mandar muita gente para lá de uma vez, a capacidade das espaçonaves é bem limitada. E animais? Você levaria algum para o planeta vermelho? Conta para gente!


eder_molina

Eder Molina
Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas
Universidade de São Paulo

Sou paulista, e já nem lembro quando nasci… Sempre fui curioso sobre o porquê das coisas, e desde criança tinha meu clubinho da ciência. Hoje sou professor de Geofísica e continuo xereta e buscando aprender muitas coisas, principalmente sobre a Terra e o Sistema Solar.

Matéria publicada em 01.12.2023

COMENTÁRIOS

  • Stella e Felipe

    Amo chc leio todo dia !!!

    Publicado em 2 de fevereiro de 2024 Responder

  • Eder Molina

    Muito bem, Stella e Felipe! Continuem assim, vocês vão loooooonge! 🙂

    Publicado em 13 de março de 2024 Responder

Envie um comentário

admin

CONTEÚDO RELACIONADO

Quem protege os meros?

Peixes que podem ser maiores do que humanos estão ameaçados de extinção.

Mar, misterioso mar!

Cheio de vida e de surpresas, o oceano mexe com a imaginação da gente.