Farejadores de doenças

Sabia que algumas doenças podem ser detectadas pelo cheiro?

Cães, ratos e até formigas podem ser muito eficientes na detecção de doenças humanas através do olfato.
Foto Alejandro Soffia/Flickr

Ao se desenvolverem no corpo de um animal, incluindo em nós, humanos, as doenças produzem substâncias específicas que podem ser detectadas no sangue, nas fezes, na urina ou em secreções, como na saliva e no suor. Parte dessas substâncias se espalham facilmente pelo ar e podem estar relacionadas a um cheiro específico.

Diversos tipos de animais possuem a capacidade de captar e reconhecer os cheiros de algumas doenças. Esta é uma habilidade muito importante na natureza, pois permite, por exemplo, que um indivíduo evite ter contato com outro que pode transmitir uma doença, ou que um predador consiga reconhecer uma presa doente.

Já nós, humanos, estamos tão ocupados em prestar atenção naquilo que enxergamos, que passamos a ignorar grande parte da informação sensorial, ou seja, da capacidade que temos de detectar as coisas por outros sentidos, como pelo olfato. Talvez por isso, hoje em dia, poucas pessoas parecem ter a capacidade de perceber que alguém está doente só pelo cheiro. 

Mas já pensou como seria útil perceber que estamos começando a ficar doentes só através do nosso cheiro? Poderíamos evitar muitos exames chatos ou doloridos, além de começar a tratar as doenças quando ainda estivessem bem no comecinho. Pois saiba que essa não é uma ideia assim tão absurda, ainda mais se contarmos com a ajuda de bons farejadores. 

Alguns estudos científicos têm demonstrado que cães, ratos e até formigas podem ser treinados com certa facilidade para detectarem diferentes doenças em pessoas, como tuberculose, diabetes, malária, além de vários tipos de câncer. Outros animais nem mesmo precisam ser treinados, como alguns vermes nematódeos. Eles são naturalmente atraídos pelo cheiro de células cancerosas e se saem muito bem em testes de laboratório nos quais precisam encontrar uma amostra da célula doente. 

Em alguns desses estudos, os biosensores (como são chamados os animais nesse tipo de estudos) se mostraram mais eficientes para identificar as amostras contaminadas com doenças do que os testes convencionais utilizados.

Ratos-gigantes-africanos já são utilizados em países como Tanzânia e Moçambique para acelerar e confirmar os diagnósticos de tuberculose.
Foto Domínio Público Animalia.bio

vinicius_novo

Vinícius São Pedro,
Centro de Ciências da Natureza,
Universidade Federal de São Carlos

Sou biólogo e, desde pequeno, apaixonado pela natureza. Um dos meus passatempos favoritos é observar animais, plantas e paisagens naturais.

Matéria publicada em 05.07.2024

COMENTÁRIOS

  • João Pedro Lopes Nunes de Melo

    Olá pessoal da CHC!
    Gostei muito da sua sessão (Farejadores de Doenças)!!!!!!!!!
    E gostaria que vocês publicassem uma revista dos RÉPTEIS

    OBRIGADO PELA ATENÇÃO!!!
    Meu nome é João Pedro Lopes Nunes de Melo tenho 8 anos e esse e-mail é do meu pai

    Publicado em 6 de julho de 2024 Responder

Envie um comentário

CONTEÚDO RELACIONADO

O voo dos albatrozes

Nossas ações em terra firme podem afetar o destino dessas aves oceânicas

Quem protege os meros?

Peixes que podem ser maiores do que humanos estão ameaçados de extinção.